Bali

Dia 267

Neste dia já acordámos tarde e aproveitámos para ter um dia descontraído, sem nada programado. Fomos almoçar sate (espetos de carne) e depois decidimos dar uma volta pelo centro até à praia de Kuta. Passámos por alguns templos hindus que estavam fechados e onde as mulheres não podem entrar. Quando chegámos à praia, estendemos as toalhas e fomos a banhos. A água estava a uma boa temperatura, já a praia não é nada de especial e com algum lixo. Decidimos voltar para o hotel, tomar um banho e voltar a sair para ir jantar. O hotel que escolhemos para ficar aqui em Kuta foi o Pondok Sutya, muito agradável, preço/qualidade muito bom, mais ainda assim um bocado longe da praia e restaurantes.

Dia 268

O descanso continuou, depois de tantos dias intensos a conduzir na Nova Zelândia e Austrália, já estávamos a precisar. Aproveitámos o dia para atualizar o site e para relaxar no hotel. Só saímos do hotel para almoçar e jantar. Isto também, porque a cidade e a praia não nos despertaram interesse. Nós só ficámos por aqui, pois estávamos à espera da Corinne e do Du, que vêm já amanhã :).

Dia 269

Neste dia acordámos especialmente contentes, pois já íamos ver o Du e a Corinne ? os nossos amigos que vieram da Bélgica, para passarem as 2 semanas de férias connosco, aqui na Indonésia. Depois de tomarmos o pequeno almoço e de fazermos as malas, apanhámos um Grab (espécie de Uber) para irmos ter ao hotel onde eles tinham passado a noite. Quando chegámos, ficámos muito contentes de os ver. Depois de matar saudades, foi hora de apanhar outro Grab e seguir caminho para Ubud, onde íamos passar as próximas 4 noites. Mais de 1 hora depois, para fazer 22 km, lá chegámos finalmente ao nosso hotel, Dana Jaya Villa. Mal chegámos, alugámos logo uma scooter (50 000 IDR por dia) para irmos ao centro levantar dinheiro. Depois foi altura de irmos almoçar a um restaurante vegetariano. Este restaurante tinha a particularidade de ser uma espécie de buffet, de sermos nós a lavar os nossos pratos e no final pagávamos o valor que achávamos justo. Como já não era assim muito cedo, o resto da tarde passámos a descansar. Para nosso azar, tinham estado a limpar a piscina e não podemos ir dar um mergulho. Para jantar, apanhámos outra vez um Grab e fomos até um restaurante com comida típica da Indonésia. O resto da noite foi passado na conversa.

Dia 270

Acordámos relativamente cedo para aproveitarmos da melhor maneira o nosso primeiro dia em Ubud. Começámos por visitar a floresta dos macacos, como o nome indica, macacos era o que não faltava. Apesar de eu e a Carina já termos visto bastantes durante a nossa viagem, esta espécie foi a primeira vez. Tinham o pelo na parte de cima da cabeça em forma de uma crista e uma bela barba, até as fêmeas ?? daqui seguimos então para o centro de Ubud. Como já estávamos a ficar com fome, fomos logo almoçar. Já cheios de energia, fomos dar uma volta pelo mercado, depois passámos pelo palácio de Ubud e acabámos a ver o templo da água Saraswati. Como estava bastante calor, decidimos voltar para o nosso alojamento. A caminho parámos para tomar um café no Ubud Coffee Roastery. Como estávamos a ficar com bastante sede, parámos ainda no supermercado para comprar umas cervejas e uns aperitivos ? bem o resto da tarde foi passado a descansar e a dar uns mergulhos na piscina. Para jantar, fomos ao restaurante Who’s who, onde o proprietário é belga. A comida estava bastante boa, recomendamos.

Dia 271

Neste dia resolvemos sair um bocado da agitação do centro de Ubud e fomos fazer uma caminhada pelo campuhan ridge. É um passeio perto do rio, por entre arrozais e campos de cultivo. Almoçámos num dos restaurantes que se encontravam pelo caminho e depois seguimos viagem até ao rio Ayung. Descemos umas quantas escadas e fomos dar um passeio à beira do rio.  Resolvemos então voltar ao hotel e desfrutar da piscina. Já à noite fomos de scooter a outro restaurante.

Dia 272 

Acordámos cedo e decidimos visitar os famosos arrozais em terraço (camadas). Quando chegámos a Tegalalang, fomos logo abordados por um senhor, que nos fez pagar 10 000 IDR para entrar nos arrozais. Pouco tempo depois de estarmos a passear, tivemos que pagar mais uma vez uma doação para poder utilizar uma ponte de madeira que dava acesso a outros arrozais. Já no final da manhã decidimos continuar caminho até ao templo Tirta empul, onde existe uma fonte de águas termais, que dão acesso a uma piscina sagrada, onde os locais e turistas se podem purificar. Neste templo o bilhete custa 15 000 IDR cada pessoa e eles emprestam o sarong (roupa tradicional). Depois decidimos almoçar pelo caminho e ir até ao templo Goa gajah, conhecido por ser o templo dos elefantes e tem a particularidade de ser dentro de uma cave. Gostámos bastante, também pela parte envolvente, muito verde e até tem uma cascata. Neste templo também pagámos 15 000 IDR cada um. No final da tarde resolvemos voltar para o hotel e dar mais uns mergulhos na piscina. Para jantar fomos jantar uns belos noodles.

Dia 273

Este dia foi de mudança, fomos conhecer outra zona de Bali. Fomos de Grab até Amed. Demorámos cerca de 2 horas para percorrer 70 quilómetros. Por este trajeto pagámos cerca de 350 000 IDR. Antes de chegarmos ao hotel/bungalow passámos por uma rua estreita, cheia de buracos e galinhas por todo lado. Mas quando abrimos a porta para aceder ao hotel, o cenário mudou drasticamente. O hotel que escolhemos foi o Kelapa cottage. Tudo muito verde, bem arranjado, piscina e um bungalow muito bem decorado. Depois de nos instalarmos fomos almoçar a um restaurante que fica na rua principal que atravessa Amed, que não é uma vila muito grande. De seguida fomos até à praia de pedras pretas, repleta de barcos de pesca e fomos logo para a água fazer snorkeling. Nesta praia temos a linda vista para o vulcão ativo Agung de onde vimos um belo pôr do sol. Voltámos ao hotel e ainda fomos dar uns mergulhos na piscina antes do jantar.

Dia 274

Neste dia decidimos fazer snorkeling num local diferente do que estamos acostumados. Fomos fazer snorkeling perto de um navio de guerra americano, chamado Liberty, que afundou em 1942 perto da vila de Tulanbem. Foi uma experiência muito interessante e diferente, onde pudemos ver inúmeros corais e peixes coloridos. Já por volta de almoço, fomos até ao hotel usufruir um pouco da piscina e trocar de roupa. Depois fomos almoçar peixe grelhado com vista para a praia e seguimos até ao palácio de água Tirtagangaa. Para entrar neste templo é preciso pagar a entrada de 30 000 IDR, mais o estacionamento, 2 000 IDR por scooter. Depois fomos até ao templo Pura Lempuyang, um dos templos mais antigos e importantes de Bali. Existem várias etapas, com vários patamares para subir, mas são precisas cerca de 5 horas para completar a caminhada. Nós decidimos ficar pelo primeiro patamar, onde se encontra a parte mais bonita do templo e onde se tem uma vista sublime do vulcão Agung. Para entrar no templo é obrigatório usar sarong. Eles têm uma barraquinha á entrada com sarongs para emprestar, 10 000 IDR cada um e ainda temos que fazer uma doação para entrar no templo. Já ao final do dia decidimos voltar para o hotel antes que fizesse noite, pois conduzir por estes lados é uma aventura. À noite fomos até ao centro de Amed e comemos um belo hambúrguer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *