África do Sul (1ª parte)

Dia 385

Saímos bem cedo de Maputo, às 7h00 já estávamos dentro do autocarro, prontos a partir para uma nova aventura. Passámos a fronteira de Ressano Garcia e às 12h00 chegámos a Nelspruit, África do sul. O Gualter já estava à nossa espera e levou-nos até sua casa. Ficámos na casa dele e da Sónia, que tínhamos reservado através do Airbnb. Almoçámos uma sandes que o Gualter generosamente nos ofereceu e depois ele levou-nos até um shopping, com várias lojas, incluindo algumas com bastante material para campismo. À noite, jantámos pizzas com eles, feitas no churrasco a carvão. Foi um jantar muito saboroso e em ótima companhia.



Dia 386

Depois de uma noite muito bem dormida, lá continuámos com a nossa missão de comprar material de campismo para a nossa viagem por África. Fomos na parte da manhã à loja Makro e à hora de almoço fomos buscar o carro alugado à empresa Bidvest. Depois de termos esperado bastante tempo, lá conseguimos ter o carro. Fomos percorrer as diferentes lojas para comprar todo o material necessário e comida para alguns dias. A maior parte do material foi comprado na loja Game e Makro. Ainda tivemos que voltar à companhia de carros alugados, pois eles ainda não nos tinham dado todos os documentos necessários para atravessar as fronteiras, com Botswana e Namíbia. À noite o Gualter e a Sónia convidaram-nos mais uma vez para jantarmos com eles, desta vez carne assada no churrasco. Depois deste belo jantar, ainda fomos arrumar o carro, para o dia seguinte podermos iniciar a nossa viagem logo pela manhã.

Dia 387

Levantámo-nos bastante cedo, despedimo-nos da Sónia e do Gualter e ainda fomos até à Makro buscar o autocolante com as iniciais ZA, que faltava. Já partimos mais tarde do que esperávamos, por volta das 10h00. Começámos então a famosa estrada panorama até ao parque de campismo Sawdini resort. A nossa primeira paragem foi no miradouro pinnacle. Tivemos que pagar 15 Rands (ZAR) cada um. Depois fomos até à God’s window. Que não achámos nada de especial, pois a vegetação estava toda queimada e havia uma espécie de nevoeiro, ou seja, a paisagem não é tão magnífica. Também tivemos que pagar 15 ZAR cada um. A próxima paragem foi a Bourke’s luck potholes, onde o rio Blyde e o rio Treur se encontram. Aqui existem várias pontes de madeira, para vermos os buracos formados pela erosão dos rios e de fundo conseguimos ver o Blyde canyon. Pagámos 55 ZAR cada um. Aproveitámos também para almoçar e de seguida fomos até ao miradouro Lowveld, onde conseguimos ver o Blyde canyon, parte do rio e da barragem. Decidimos não parar no miradouro Three rondavels, pois conseguimos ver estas formações rochosas da estrada. Seguimos então viagem para o parque de campismo onde iríamos ficar. Quando chegámos fomos logo montar a tenda e instalarmo-nos. Para nossa surpresa vimos logo kudus, vários macacos, babuínos e uma espécie de galinha (preta com pintas brancas). Este parque de campismo está localizado no leito do Blyde canyon, rodeado de montanhas e perto do rio Blyde. Uma magnífica paisagem. Para não falar das duas piscinas enormes, sendo uma delas aquecida. Depois de fazermos o jantar decidimos ir dormir.






Dia 388

Neste dia decidimos ir visitar o centro de reabilitação de animais selvagens Moholoholo. Existem duas visitas por dia, uma às 9h30, outra às 15h00. Gostámos muito deste centro, pois percebemos o seu objetivo, que é resgatar animais em perigo ou feridos e se possível introduzi-los novamente no seu habitat natural. No final, podemos estar em contacto com os animais que eles têm no centro e que não podem ser devolvidos à natureza. Vimos leões, vultures, chitas, leopardos, leopardos pretos, cães selvagens, hienas… Depois desta visita decidimos ir visitar a barragem, que se encontra muito perto do parque de campismo. Como já era hora de almoço, fomos até ao campismo fazer umas sandes e depois fomos aproveitar para nos refrescarmos nas piscinas. Ao fim da tarde ainda fomos fazer uma pequena caminhada perto do rio e encontrámos mais uma vez kudus e babuínos. Mais uma vez, fizemos o jantar e como estávamos bastante cansados, fomos dormir cedo.








Dia 389

Este foi dia de viagem e tínhamos como objetivo passar a fronteira entre África do Sul e Botswana. Partimos do parque de campismo por volta das 8h00 e só chegámos à fronteira de Globresburg às 16h00. No caminho só parámos um pouco para ver a barragem Elizabeth, para almoçarmos e para falarmos com os nossos pais. No caminho também vimos vários kudus, dentro das reservas e uma família de javalis à beira da estrada. Na fronteira, apesar de ser um pouco confuso, pois não há muitas indicações, foi tudo bastante rápido e simples. Só tivemos que pagar 165 Pulas (BWP) de taxas por atravessamos a fronteira com o carro. Na entrada para Botswana, tivemos que deixar os tomates e fruta que tínhamos no carro. Finalmente, chegámos ao parque de campismo Kwa nokeng, para passar uma noite. Este parque de campismo é mesmo ao lado da fronteira e do rio Limpopo. As comodidades são básicas e há bastante barulho dos carros/camiões a passar a fronteira. Só tivemos tempo de montar a tenda, jantar qualquer coisa rápida e fomos logo dormir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *