Curitiba

Dia 490

Depois de 11 horas de viagem e uma noite dormida no autocarro, finalmente chegámos a Curitiba. Estávamos todos contentes, pois iríamos ver um grande amigo do João, o André (passados 3 anos) e finalmente conhecer a sua esposa, a Mariana. Antes de chegarmos a casa deles, ainda passámos numa pastelaria para comprar pão e umas belas coxinhas de frango, bem típico aqui no Brasil. Quando entrámos em casa, tínhamos o Daoji à nossa espera, o cão deles. O resto do dia foi passado a descansar. Só saímos para passear o Daoji e à noite, fomos até ao Shopping comer uns tacos.

Dia 491

Neste dia, depois de tomarmos o pequeno almoço, fomos passear um pouco até ao centro de Curitiba. Nós queríamos fazer o CPF (número de identificação brasileiro), de modo a podermos comprar os ingressos para o carnaval do Rio. Primeiro, tivemos que passar nos correios para iniciar o processo do CPF e depois tínhamos de ir à Ministério da Fazenda para finalizar. Como os correios estavam com problemas informáticos, deixámos para depois de almoço. Ainda assim, fomos dar uma volta para conhecer o centro de Curitiba. Começámos pelo Largo da Ordem, onde existe uma igreja com o mesmo nome. Antes de irmos almoçar, passámos pela praça Garibaldi, onde existe a estátua cabeça de cavalo e o palácio Garivbaldi. Depois, como já estávamos a ficar com fome, fomos almoçar uma bela feijoada com o André, a Mariana e a Tanara, uma amiga deles, no restaurante Joker’s. Não conseguimos fazer o CPF no Ministério da Fazenda, porque já tinham acabado as senhas, tínhamos de voltar no dia seguinte. Fomos beber café e depois passear até ao Passeio público, uma espécie de minijardim zoológico gratuito. Não ficámos lá muito tempo, foi mesmo uma pequena volta, pois nós não gostamos de ver animais enjaulados. De volta para o centro, passámos pelo Memorial Barão do Rio Branco e depois pela Praça Tridente, onde existe a Catedral Basílica Menor Nossa Senhora da Luz dos Pinhais. Mais tarde, voltámos para casa e fomos descansar um bocado. Para jantar, fomos até à casa dos pais da Mariana, o Nilo e a Yara.

Dia 492

Acordámos bem cedo para ir tratar do CPF. Depois de termos tudo tratado, voltámos para casa, mas antes ainda passámos pela lanchonete “Dois corações” para comprar umas coxinhas de frango. Mal chegámos, tomámos um segundo pequeno almoço com eles. Depois, fomos comprar os ingressos para o carnaval. O resto do dia, ficámos por casa a trabalhar no website e a meter a conversa em dia com eles. Para jantar, comemos por casa, pois tínhamos bastante comida e também porque no dia seguinte íamos para a casa de praia dos pais dela, que fica na zona de pontal do Sul.

Dia 493

Depois de acordarmos e arrumarmos tudo, seguimos caminho para a praia. Chegámos por volta da hora de almoço. Fomos almoçar a um restaurante com buffet livre e depois fomos às compras. No final da tarde, fomos até à praia dar um mergulho. Depois de jantar, ainda jogámos um jogo de tabuleiro, o Catan.

Dia 494

Depois de acordarmos e tomarmos o pequeno almoço, fomos um bocado até à praia. Voltámos para almoçar e depois fomos dar uma volta de bicicleta à beira do mar. O André e a Mariana foram ter connosco à praia, onde ficámos o resto da tarde. Quando chegámos a casa, o João decidiu fazer umas caipirinhas para aperitivo. Depois de jantar e para não variar, jogámos mais um pouco de Catan. No final do dia e pela noite fora choveu e trovejou muito, algo impressionante. 

Dia 495

Depois de termos ido à praia na parte da manhã, voltámos para casa para preparar o churrasco. Nada melhor que estar perto da praia, beber umas caipirinhas e fazer um belo churrasco. Depois de almoço e com a barriga bem cheia, ficámos a relaxar um pouco. Mais tarde e quando já não estava tanto calor, decidimos voltar até à praia. A praia não tem quase gente nenhuma, o mar é limpo e tem uma temperatura ótima, não se pode pedir melhor. Como tinha sobrado bastante carne do almoço, já tínhamos o jantar feito. Neste dia, deitámo-nos mais cedo, pois no dia seguinte íamos visitar a Ilha do Mel.

Dia 496

Acordámos bem cedo e fomos apanhar um barco no Pontal do Sul até à vila Brasília, na Ilha do mel. O bilhete custou 35 reais cada um, ida e volta. Chegámos à ilha por volta das 09h40. Quando chegámos, decidimos caminhar até à Fortaleza da Nossa Senhora dos Prazeres. Estava um dia bastante quente, por isso a caminhada até à fortaleza foi bem longa, parecia que estava tão perto, mas ainda caminhámos cerca de 4 km. A fortaleza foi construída entre 1767 e 1769 para proteger a entrada da baía do Paranaguá. Uma construção muito interessante e bem preservada. Depois da visita à Fortaleza, subimos até ao miradouro para ver a vista. A vista era muito bonita, o problema é que fomos atacados por dezenas de mosquitos. Para voltarmos a Brasília, optámos pelo caminho no meio da floresta, pois estava muito calor. Depois de comermos umas sandes, nós os dois fomos caminhar até ao farol. Depois de lá chegarmos e de subirmos cerca de 150 degraus, podemos contemplar a vista em redor, com as suas diversas baías.  Como estava um calor quase insuportável, descemos e fomos dar um mergulho à praia do farol. Após o mergulho, fomos ter com o André e a Mariana. Eles estavam cansados e ela tinha uma bolha no pé, por isso fomos só nos os dois apanhar o barco para ir até à outra parte da ilha, vila Encantadas. Apesar de se poder caminhar pelo meio da floresta, nós já estávamos cansados e a caminhada não era fácil, por isso fomos de barco. O bilhete só de ida custou 15 reais cada um. O objetivo principal era ir ver a gruta das Encantadas, mas quando lá chegámos não ficámos assim tão surpreendidos. Voltámos para perto do porto dos barcos e fomos dar mais um mergulho antes de apanharmos o barco até ao Pontal do Sul. O tempo estava a mudar rapidamente, por isso queríamos chegar lá o quanto antes. Já em terra firme, o André foi-nos buscar de carro, pois eles tinham ido embora antes. Foi mesmo a tempo, pois o tempo mudou bastante e de um momento para o outro estava a chover bastante e a trovejar. Quando chegámos a casa foi tempo de tomar banho, jogar Catan, jantar e dormir.

Dia 497

Depois do pequeno almoço, fomos mais uma vez até à praia. A Mariana e o André, decidiram ficar por casa. Mais tarde, a Marina foi ter connosco. Encontrámos uma cadela vadia na praia, que nos seguiu até casa. Ela brincou bastante com o Daoji e até lhe mordia os calcanhares para ele brincar com ela. À tarde, voltámos para a praia e ela seguiu o seu caminho, nunca mais a vimos.

Dia 498

Mais uma vez, fomos até à praia de manhã. Estava mais um lindo dia de sol e não podemos resistir. Voltámos a casa para almoçar com o André e a Mariana e à tarde fomos com eles visitar a tia e os primos da Mariana. Eu e o André tivemos a jogar à bola com os mais pequenos e ficámos todos “partidos”. Para jantar, fomos buscar umas belas pizzas e uma cerveja artesanal ao restaurante Karranka. Depois do jantar jogámos mais um jogo de sociedade.

Dia 499

Depois de tomarmos o pequeno almoço e de arrumarmos a casa, fomos de volta para Curitiba. Chegámos por volta das 14h00 e decidimos ir almoçar ao shopping. Voltámos para casa e fomos trabalhar um bocado no website e aproveitar o tempo com os amigos.

Dia 500

Dia de acordar um pouco mais tarde. Depois do pequeno almoço, tivemos a pesquisar um pouco sobre as nossas futuras viagens e nisto já era hora de almoçar. Após o almoço, fomos dar uma volta até ao Jardim botânico de Curitiba. Neste parque podemos ver o cartão de visita da cidade, a estufa mais conhecida como “Palácio de cristal”. Não conseguimos visitá-la, pois estava em manutenção. Depois do passeio pelo parque e como já era tarde para irmos passear para outros lados, fomos até ao shopping da estação. É um shopping muito peculiar, porque no seu anterior ainda se pode ver partes da antiga estação de comboio. Também se pode visitar o museu ferroviário. Aproveitámos para jantar por lá e depois fomos para casa.

Dia 501

Este foi o dia do aniversário do André. Depois de tomarmos o pequeno almoço, acabámos de fazer algumas coisas por casa e nisto já era de almoço. Fomos almoçar a um restaurante buffet livre, com muita carne grelhada e de boa qualidade, a Boutique de Carne. Depois de almoço, fomos visitar a Universidade Livre do Meio Ambiente, com uma construção muito interessante toda em madeira. Depois fomos até à Ópera de Arame, mais uma construção muito bonita e onde podemos assistir a um concerto. Por volta das 18h00, fomos até à nossa última paragem antes de irmos jantar, o parque Tanguá. Não podemos ficar muito tempo, porque estava a chegar uma bela chuvada. Fomos então para o bar “Pensador”, comer uma bifana e beber uma cerveja artesanal e assim celebrar o aniversário do André. Uma amiga deles ainda veio ter connosco, a Alana. Infelizmente, não podemos ficar para assistir ao concerto, porque no dia a seguir tínhamos de acordar bem cedo para ir fazer o passeio de comboio até Morretes.

Dia 502

Como já sabíamos, acordar neste dia ia custar um pouco. Por volta das 06h30, o despertador já estava a tocar. Às 07h30, já depois de termos tomado o pequeno almoço, estávamos a apanhar um Uber para nos levar até ao terminal rodoviário de Curitiba. O passeio de comboio turístico até Morretes inicia-se às 08h30, perto da rodoviária de Curitiba. Ainda antes das 08h00, já lá estavam imensas pessoas à espera. Já tínhamos comprado os bilhetes alguns dias antes pela internet, no website da empresa Serra Verde Express. O bilhete custou 125 reais cada um, só de ida e com um guia português e pequeno lanche incluído no preço. O início do passeio não é a parte mais bonita, pois ainda estamos na cidade de Curitiba e passamos apenas por zonas com prédios e algumas zonas um pouco degradadas. Só quando começamos a passar pelo meio da floresta Atlântica é que tudo muda. Em cada vagão do comboio existe um guia, que explica a história da construção desta linha férrea e também muitos outros factos interessantes sobre Curitiba e as vilas em redor. Ao longo do passeio, além da floresta densa, conseguimos ver várias estações de comboio bem antigas (a maior parte em ruínas), passamos por imensas pontes e túneis e vimos o rio ao nosso lado. Este passeio de comboio é muito bonito, pelas paisagens que podemos apreciar. Por vezes, mete um pouco de medo quando passamos por cima de algumas pontes e olhamos para baixo. O passeio acaba com a chegada a Morretes por volta das 12h30, hora para ir comer o tão conhecimento prato típico, o barreado. Fomos ao restaurante Manacá da Serra, que é buffet e um dos pratos é o barreado (carne seca cozida numa panela de barro), desde o tradicional até ao escondidinho de Barreado (espécie de empadão de carne). Depois de comer bastante era hora de andar um pouco. Fomos dar uma volta até à ponte velha e depois caminhámos ao longo do rio pela zona das barraquinhas de artesanato. Chegámos até à igreja e por volta das 15h00, fomos para o terminal rodoviário para apanharmos um autocarro de volta a Curitiba, mas que passa pela bonita estrada da Graciosa. Infelizmente o estado do tempo a seguir ao almoço mudou um pouco. Estava a chover e havia bastante nevoeiro, ou seja, a visibilidade não era a melhor. Chegámos a Curitiba por volta das 18h00 e fomos apanhar um Uber de volta a casa. Mais tarde, fomos jantar a casa dos pais da Mariana para nos despedirmos deles.  No dia seguinte íamos apanhar um avião para Porto Alegre, no estado do Rio Grande do Sul. Como estávamos tão cansados do dia de passeio, quando chegámos a casa bebemos mais uma caipirinha e fomos diretos para a cama.

Dia 503

Não acordámos tão cedo como no dia anterior, mas mesmo assim quando nos levantámos estávamos com aquela sensação de que podíamos dormir bem mais 😂😂. Depois de acabarmos de arrumar a mala e de tomarmos o pequeno almoço, por volta das 11h00 fomos para o aeroporto de Curitiba. O André e a Mariana foram lá levar-nos de carro. Depois de quase 2 semanas com os nossos amigos, foi tempo de nos despedirmos e seguirmos para mais uma viagem. Chegámos ao aeroporto de Porto Alegre por volta das 15h00 e o próximo autocarro para Gramado, partia às 16h00. O bilhete custou cerca de 55 reais para cada um de nós. Chegámos ao terminal rodoviário de Gramado já passava das 18h00, por isso fomos diretos ao apartamento que tínhamos alugado. Mais tarde, fomos comprar comida para os próximos dias e depois fazer o jantar e descansar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *