San Pedro La Laguna

Dia 672

Aproveitámos este dia para descansar. Depois do pequeno almoço, tivemos de ir arrumar as malas. Às 12h30 vinham buscar-nos para irmos num minibus até Panajachel, lago Atitlán. Antes de partimos, ainda fomos até ao centro para comprarmos uma peça de artesanato que tínhamos visto no mercado “Nim P’ot” e que gostámos bastante. Estes dias em Antígua foram excelentes, adorámos tudo na cidade, desde os restaurantes, a vista sobre os vulcões, o alojamento onde ficámos e claro, conhecer o nosso amigo Irving. Depois de 3h de viagem num minibus que custou 70 GTQ, chegámos a Panajachel. O nosso destino final era San Pedro La Laguna, por isso ainda tivemos de apanhar um barco ⛵. Este barco custou 25 GTQ cada um e demorou cerca de 30 minutos. Estava bastante vento, por isso havia bastante ondulação no lago. Mas ainda assim, conseguimos ver os 3 vulcões que rodeiam o lago, o vulcão San Pedro, Tolimán e Atitlán.  Depois de chegarmos à povoação San Pedro La Laguna, apanhámos um “tuk-tuk” até ao alojamento que tínhamos reservado. Como o alojamento ficava perto do lago, aproveitámos para ir dar uma vista de olhos. Vimos várias pessoas locais a nadar e a tomar banho no lago. Como o tempo não estava muito bom, voltámos para o alojamento e acabámos por jantar por lá.

Dia 673

Depois de tomarmos o pequeno almoço, fomos até ao centro para apanhar um autocarro, ou melhor um “chicken bus”. Depois de percebermos onde era a paragem, ainda tivemos de esperar 30 minutos até o autocarro partir. Andar neste autocarro foi uma experiência divertida e enriquecedora. O nosso destino seria a povoação de Santa Clara la Laguna, para subirmos ao miradouro Nariz do Índio, que tem mesmo o formato de uma cara. Uma hora depois lá chegámos à povoação. Depois de perguntarmos a algumas pessoas o caminho, seguimos a pé até chegarmos à “bilheteira”, ou melhor à casa de um local onde tem de se pagar o bilhete. Este bilhete custou 40 GTQ por pessoa, depois de negociado. Andámos mais um pouco por entre as casas dos locais e antes de começarmos a subir até ao miradouro, vemos uma lixeira a céu aberto. Podemos dizer que não foi o que mais gostámos de ver e pelo preço de entrada, esperávamos que o caminho estivesse limpo. Depois de 25 minutos a caminhar, chegámos ao topo, onde se tem uma linda vista sobre o lago, as várias povoações e claro, sobre os vulcões. O lago e as povoações conseguimos ver relativamente bem, mas os vulcões nem por isso. Ficámos ali a relaxar durante quase 1h, até vir o nevoeiro e não vermos mais nada. Decidimos então descer e esperar pelo autocarro para voltar para San Pedro La Laguna. Como ainda tínhamos bastante tempo, pois só tínhamos autocarro às 12h45, demos uma volta pelo mercado local, que era enorme. Quando chegámos a San Pedro, fomos logo almoçar e informarmo-nos sobre o transporte até Semuc Champey. Após vermos algumas agências, acabámos por comprar os bilhetes por 170 GTQ por pessoa. Isto incluí, o transporte de barco desde San Pedro até Panajachel e o autocarro de Panajachel até Lanquin. Voltámos então para o alojamento, mas desta vez, decidimos caminhar ao longo do lago. Foi bastante interessante, pois podemos admirar a vida dos locais. Vimos pessoas a lavar a roupa, tomar banho, nadar, dar água aos cavalos…. Basicamente, este lago serve para tudo 😁. O céu estava bastante encoberto e não tardaria muito a chover. Ficámos o resto da tarde a descansar e a trabalhar um pouco no website. Para jantar, fomos até às tendas que estavam a vender comida perto do centro e depois voltámos para casa. Gostámos bastante de explorar algumas povoações que rodeiam o lago, pois podemos viver entre os locais e percebemos que ainda existem muitas pessoas que se vestem de forma tradicional e que respeitam e seguem a cultura Maya.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *